sexta-feira, 25 de maio de 2012

Tous les garçons et les filles (1962)



Em 6 de fevereiro 1962, o Petit Conservatoire de la Chanson exibe pela primeira vez Françoise Hardy, uma de suas alunas mais talentosas, em um programa de TV do canal ORTF. Nos próximos meses, Françoise entra em estúdio para gravar as canções do seu primeiro LP. Concluído em 25 de abril, contudo, o disco só chegaria às lojas em novembro daquele ano. Enquanto isso saía o primeiro compacto de 45 rotações. Através do EPs a voz de Françoise cantando Oh Oh Chéri aparece pela primeira vez nas rádios, entre junho e agosto. Em outubro, Françoise já tinha 2 mil exemplares do compacto vendidos. Outros dois compactos saíram até o final do ano e obtiveram também bom índice de vendas.


Na noite do domingo 28 de outubro de 1962, uma aparição televisiva marcaria para sempre a vida de Françoise. Enquanto os telespectadores esperavam pelos resultados das eleições presidenciais, Hardy apareceu entre os intervalos musicais, cantando a canção Tous Les Garçons Et les Filles. Desde então, a música tomou enormes proporções e destaque nas rádios. Ela começa a aparecer nos jukeboxes e se torna um hit inconfundível. 


 Primeiro scopitone gravado por Françoise, em novembro de 1962

O sucesso, levado pela onda do iê-iê-iê, veio também pela originalidade e talento na escrita e na composição musical de Françoise Hardy, com belas melodias aliadas à melancolia e às aflições juvenis. Em consequência das grandes vendas, o contrato estabelecido com a Vogue, que valeria apenas por um ano, foi aumentado para quatro. A jovem Françoise Hardy agora abandonava os estudos universitários e se dedicava exclusivamente à música.

E o sucesso crescia mais e mais. Inesperadamente, surge um convite do diretor artístico Bruno Coquatrix para que ela se apresente no Olympia. Ainda perplexa com tantos acontecimentos, a cantora acredita que ainda não está pronta para isso e recusa a proposta.  A estreia nos palcos só acontece em 11 de dezembro de 1962, em um teatro da cidade de Nancy. Logo a imprensa toma conta do mais novo fenômeno musical. A revista Paris Match, na edição de número 5, de janeiro de 1963, faz uma cobertura completa sobre a cantora  e a consagra como um novo ídolo da música.

SOBRE O DISCO - No fim do ano, com apenas um mês de lançado, o LP intitulado Françoise Hardy, mas apelidado pela faixa Tous les garçons et les filles, já havia vendido mais de 500 mil exemplares. O disco é composto por dez canções compostas por Françoise Hardy, além de uma versão da canção americana Uh Oh, de Petula Clark, que se transformou em Oh oh Chéri.

Além de Tous les Garçons... dois títulos fizeram sucesso: C’est à l’amour auquel je pense e Le temps de l’amour, sendo esta última uma composição de Jacques Dutronc que se tornaria outro hit inabalável do primeiro álbum. A fotografia da capa foi feita por Jean-Marie Périer, fotógrafo da revista Salut Les Copains. A partir dali, ele se tornaria um grande ilustrador das capas de discos de Françoise. 


O álbum ganhou o Grande Prêmio de Disco da Academia Charles-Cros e o Troféu da televisão, em 1963.




1. Tous les garçons et les filles (Françoise Hardy - Roger Samyn)  
2.Ça a raté (Françoise Hardy - Roger Samyn)  
3. La fille avec toi (Françoise Hardy - Roger Samyn)  
4. Oh oh chéri (Uh Oh) (Original por Bobby Lee Trammell, de 1958. Versão francesa: Jil et Jan) 
5. Le temps de l’amour (Lucien Morisse, André Salvet - Jacques Dutronc)  
6. Il est tout pour moi (Françoise Hardy - Roger Samyn)  
7. On se plaît (Françoise Hardy - Roger Samyn)  
8. Ton meilleur ami (Françoise Hardy - Roger Samyn) 
9. J’ai jeté mon cœur (Françoise Hardy - Roger Samyn)  
10. Il est parti un jour (Françoise Hardy - Roger Samyn)  
11. J’suis d’accord (Françoise Hardy - Roger Samyn)  
12. C’est à l’amour auquel je pense (Françoise Hardy - Roger Samyn)

Um comentário: